terça-feira, 21 de setembro de 2010

Avós


Falar de avós é algo que emociona...
Eu me lembro dos meus avós com carinho...
Quando éramos bem pequenas (minha irmã e eu) meu pai nos deixava lá e ia trabalhar, já que minha mãe também trabalhava fora.
Lá ficavam quase todos os netos, hoje lembrando tenho até dó. Imagine cuidar de oito crianças pequenas ... aiai ... só eles mesmo.
A hora do almoço era uma farra... lembro que minha avó colocava uma passadeira bem grande no chão e sentava todos ali... o engraçado é que ficavamos quietinhos... ela preparava uns bolinhos com arroz, feijão e carne e ia dando para cada um ... gente eu adorava aquilo ... meu Deus. Comiámos como se fosse a melhor comidinha do mundo ... e para nós era ... depois iamos brincar ... e brigar ... como brigávamos e ela nem ficava nergosa ... uma paciência ... meu avó ficava na dele ... só olhando calmo, e  paciente.
Todos os dias as 15h horas minha avó ia na "venda" do "Mané João" e comprava pão ... preparava o leite e o café e chamava a turminha para lanchar ... era uma delícia comer pãozinho do jeito que ela cortava ... ai que delícia e que saudade ...
Por volta das 17h meu pai passava para nos pegar, e minha avó contava que nem avisava, quando estava chegando a hora eu pegava nossa bolsinha e minha irmã pelo bracinho e ficava lá no portão esperando pra ir pra casa...
Depois o tempo foi passando, entramos na escola e as idas na casa deles diminuiu, era somente  aos sábados... nas férias  era sagrado... uma semana lá na casa dela ... e quando meu avó estava viajando, dormiamos na cama dela... ai que delícia ... ela rezava um tempão e depois ficava ouvindo piadas no rádio e ria bem alto com as histórias que ouvia ...

Costureira de mão cheia, era ela a responsável por deixar as netas lindas com seus belos vestidos de saias rodadas e manguinhas fofinhas ... tinha revistas e mais revistas ...

Minha avó era muito inteligente lia muito, e sabia de todas as noticias ... eu achava o máximo ... o último presente que dei à ela foi um livro do Paulo Coelho ... ela adorou a história : "Nas margens do rio Pietra, sentei e chorei" ... me disse que parecia que era ela... como ela era romantica e apaixonada ... 

Quando meu avó faleceu eu nem morava em SP e os via bem pouco. Ai passou um tempo e minha avó ficou como criança com "paixonites" ... adorava o médico dela, ficava doente só pra ir vê-lo ... uma fofa.

Tenho certeza de que hoje ela está num lugar feliz ... calmo ... sentimos saudades dela ... em seu último aniversário ela quis que fosse comemorado com todos os filhos, netos e bisnetos ... fizemos uma festa linda ... e ela sorria feliz ... foi como despedida ... pois logo foi morar com Deus...  

Quero agradecer as meninas do http://redemulheremae.blogspot.com/ por me dar esta oportunidade de falar um pouco da minha infância. Um beijo grande também as meninas do @espaçocahdebebe.

2 comentários:

Mulher e Mãe disse...

Cátia!!!

Que lindo o seu post!
Me emocionei e pude "ver" a cena da sua avó toda bonitinha esperando o seu pai com a sua irmã.

Obrigada por fazer parte da nossa rede. Vc é MTO querida por nós!

Beijão!

^zza

CATIA BARROS ARTESANATOS disse...

Obrigada queridas... é engraçado como as pessoas conquistam as outras assim tão "brum" num passe de mágica... foi assim com vcs... num passe já estão no meu coração... sejam bem-vindas...bjao.

Arquivo do blog